Uma empresa do Grupo CEGIR e parceira da clínica ORIGEN.

horario

Seg-Qui: 08-19h

Sexta: 08-17h

whatsapp

(21) 98477-9433

Uma empresa do Grupo CEGIR.

Medicina Fetal

A medicina fetal é uma especialidade que tem como foco principal o feto. Tratando o feto como paciente, ainda dentro do útero, podemos antecipar o diagnóstico e tratamento de uma série de doenças e, conforme for, determinar maneiras de se tratar certas patologias ou complicações ainda dentro do útero, seja com medicamentos ou através de procedimentos invasivos como as cirurgias fetais.

O fetólogo, que é o médico especialista nessa área, utilizando como instrumento de trabalho o ultrassom, acompanha as diferentes etapas da vida intra-uterina, monitorando e avaliando o desenvolvimento do feto desde as primeiras semanas até o nascimento, diagnosticando e acompanhando as patologias fetais, e nesse caso, fazendo o aconselhamento para os casais sobre a situação atual de seu filho e sobre as maneiras de aprimorarmos o diagnóstico através de outros exames mais específicos, como procedimentos invasivos (amniocentese e biópsia de vilo corial por exemplo) e testes genéticos não invasivos no sangue materno.

7
Ultrassonografia Obstétrica por via Transvaginal

É realizada no primeiro trimestre da gestação, até 10 semanas (fase embrionária), para avaliação de idade gestacional, saco gestacional, batimentos cardíacos do embrião, e avaliações gerais importantes relacionadas ao primeiro trimestre da gestação (como a corionicidade no caso das gestações múltiplas, excluir a possibilidade de gestação ectópica (gestação fora do útero) e avaliar queixa de dor ou sangramento vaginal). É realizada de acordo com a necessidade de cada paciente e à critério de seu obstetra.

8
Ultrassonografia Morfológica de Primeiro Trimestre

É realizada entre 11 e 13 semanas e 6 dias (ou mais precisamente quando o feto estiver medindo entre 45 mm e 84 mm de comprimento cabeça-nádega). Realizado por via transvaginal e abdominal, para avaliação de marcadores, como a translucência nucal, osso nasal e ducto venoso, para avaliar se o feto tem um risco alto ou baixo para ter alguma síndrome genética, como a síndrome de Down. Também tem o objetivo de avaliar precocemente de forma mais detalhada a anatomia fetal. O Doppler das artérias uterinas é realizado para rastreamento para pré-eclampsia no 1º trimestre (para identificar as gestantes que poderão vir a ter pré-eclâmpsia precoce e possibilitar o tratamento preventivo o que pode reduzir o risco da apresentação grave dessa doença pela metade.)

9
Ultrassonografia Morfológica de Segundo Trimestre

É realizada entre 20 e 24 semanas (preferencialmente fazer com 22 semanas) para avaliação detalhada da morfologia fetal. Avalia a presença de malformações estruturais do feto que podem ser vistas por ultrassonografia em até 85% dos casos, mesmo considerando as limitações técnicas inerentes ao ultrassom. A medida do colo uterino é realizada por via transvaginal para auxiliar na identificação dos casos de maior risco de parto prematuro. O Doppler das artérias uterinas é realizado para rastrear as pacientes com maior risco de desenvolverem pré-eclâmpsia ou fetos muito pequenos, no decorrer da gestação.

10
Ultrassonografia Obstétrica

É realizada por via abdominal a partir de 14 semanas até o final da gestação para avaliação do crescimento fetal (peso fetal), líquido amniótico, placenta e cordão umbilical, posição do feto no útero e o bem estar fetal. Realizado também para a confirmação do sexo do feto. É realizada de acordo com a necessidade de cada paciente e à critério de seu obstetra.

11
Ultrassonografia Obstétrica com Dopplerfluxometria

É realizada a partir de 26 semanas até o parto de acordo com a necessidade de cada paciente e à critério do seu obstetra. Consiste no estudo da circulação através da mensuração dos fluxos em alguns vasos importantes para a gestação: as artérias uterinas (compartimento materno), artérias umbilicais (compartimento placentário), artéria cerebral média e quando necessário o fluxo do ducto venoso (compartimento fetal). É realizada para avaliação da vitalidade fetal, pois permite diagnosticar precocemente sinais de sofrimento fetal por hipóxia, auxiliando o obstetra a tomar a conduta mais adequada para cada caso.

12
Ultrassonografia 3D/4D

O exame de 3D e 4D é realizado em todas as pacientes, de cortesia no nosso serviço, em qualquer época gestacional, se o feto estiver em posição adequada para a realização do exame. O exame da anatomia fetal é realizado em 2D. O 3D é apenas uma complementação do exame. O recurso 3D gera imagens estáticas enquanto o recurso 4D faz um filme em tempo real. Pode-se observar mudanças faciais como mímicas, esboço de um sorriso, o abrir e fechar dos olhos, da boca e muitas outras imagens lindas. Este exame conta com a “colaboração” do bebê, pois se a face fetal estiver escondida pela sobreposição de braços, pernas e/ou cordão umbilical, ou pela posição do bebê (se a face do feto estiver voltada para as costas da mãe), ou ainda se tivermos pouco líquido amniótico próximo a face, ou paciente com fibrose por cirurgias prévias ou com tecido adiposo abundante, o exame se torna prejudicado e muitas vezes, nesses casos, não conseguimos obter nenhuma imagem em 3D ou 4D.
É importante ressaltar que, dependendo da idade gestacional, a imagem que iremos obter é diferente. Por exemplo, imagens em fases iniciais da gestação irão mostrar o corpo do feto inteiro, mas não conseguirão ver pequenos detalhes pois o bebê ainda é extremamente pequeno. Por volta de 20 semanas de gestação já é possível conseguir algumas imagens da face, entretanto elas ainda não são muito bonitas pois nesta fase o feto ainda tem pouco tecido gorduroso. As melhores imagens da face são obtidas entre 26 e 30 semanas de gestação, pois neste período o feto já tem uma boa quantidade de tecido gorduroso em baixo da pele e ainda tem bastante líquido amniótico (o que é extremamente necessário para formação de imagens nítidas). Após as 30 semanas podemos eventualmente obter imagens boas, entretanto isto torna-se mais difícil pois o espaço dentro do útero acaba tornando-se reduzido e o rosto fica a maior parte do tempo encoberto. Por isso orientamos que você planeje a realização do seu exame obstétrico de rotina entre 26 a 30 semanas de gestação para tentarmos uma melhor visualização da face fetal.

Uma empresa do Grupo CEGIR .

Somos uma Clínica de Reprodução Humana e Medicina Fetal. 

Copyright © 2018 Clínica ParaSer